Um pouco sobre a Austrália (PARTE 2)

CONTINUAÇÃO…

No canto nordeste da Austrália, ainda pode-se presenciar resquícios de uma vegetação tropical esplendorosa, que abriga uma das maiores biodiversidades do mundo por metro quadrado. Essa vegetação foi tremendamente reduzida pelos madeireiros e colonizadores ingleses, embora hoje esteja protegida por leis de conservação. Mas infelizmente quem não está tão protegido assim é a Grande Barreira de Coral, uma imensa faixa de corais composta por cerca de 2.900 recifes, 600 ilhas continentais e 300 atóis de coral. Lar de milhares de espécies, a Grande Barreira pode ser vista do espaço e é a maior estrutura do mundo feita unicamente por organismos vivos. Apesar da biodiversidade que representa, a grande barreira corre risco de extinção, em razão da poluição do mar e do aquecimento anormal das águas, causado pelo El Niño.

Tecnologicamente avançada, industrializada e com o terceiro IDH mais alto do mundo, a Austrália é um próspero país multicultural, apresentando bons indícios de saúde, educação, expectativa e qualidade de vida, bem como a proteção de liberdades civis. A maior parte da população de pouco mais de 24 milhões está concentrada na costa leste do país. 25% dessa população é composta por estrangeiros, tornando o país um dos mais amigáveis nesse sentido.

Sydney, espetacularmente envolvida em torno de seu glorioso porto, praias e arranha-céus, tem um fator visual impressionante como poucas outras cidades. Melbourne, a 900 quilômetros daqui, é a segunda maior metrópole, e adota um estilo de vida mais boêmio, bem diferente de Sydney, que é mais praiana. Entre as duas, Camberra é bem menor, mas foi a cidade escolhida para ser capital para neutralizar rivalidades existentes entre as duas metrópoles. Entre outras cidades australianas importantes estão Gold Coast, Brisbane, Perth, Adelaide e Darwin.

Uluru, um enorme monólito, é provavelmente um dos pontos turísticos mais famosos da Austrália, localizado no norte do país. Mas são as mais de 10 mil praias que chamam a atenção do cada vez maior número de turistas. Muitas vezes, as placas que encontramos na entrada das praias por aqui podem ser um pouco desanimadoras. Há perigo de tubarões, águas-vivas, polvos venenosos, e outras coisas. Por isso, não é raro encontrar piscinas cavadas nas pedras, onde é possível nadar mais tranquilamente. Para muitos visitantes, a Austrália pode não parecer um país essencialmente bonito em sua totalidade, mas tem uma beleza única e peculiar que exerce um poderoso fascínio sobre quem a conhece. De Darwin à Tasmânia ou da Ópera de Sydney a Grande Barreira de Coral, não faltam motivos para que uma viagem à Austrália seja verdadeiramente surpreendente.

Publicidade:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *