Resenha sobre o Filme ‘ Dois Irmãos (2020)’ (PARTE 3)

Publicidade:

Já a natureza artificial da animação, permite uma maior flexibilidade da lógica. E, já que é assim… é agradável constatar que essa é mais uma animação do estúdio que não desperdiça a oportunidade de pirar nos conceitos visuais de mundo, criaturas e elementos- tecnicamente, não sabemos mais o que falar – . Os detalhes das criações digitais, estão cada vez tão minimalistas que nem conseguimos mais notar a evolução. E a animação de ‘Dois Irmãos’ é uniformemente, impecável, e os personagens absurdos de tão expressivos. Então, deixando de lado essa parte técnica, que vem se aperfeiçoando de um jeito que deixa as criações impecáveis, pelo menos ao nosso ver é o lado criativo, artístico, que se destaca e sempre consegue se superar, mesmo, e notamos realmente ficar “uol!”.

Aqui, em ‘Dois Irmãos’, muito nos agrada o visual dos personagens, como um todo; seguem as lógicas de fábulas mas tem uma personalidade ali, e o melhor, eles têm uma unidade. E, quando a arte muda os padrões que conhecemos, como a cor de pele dos elfos, por exemplo: o azul, sem cuidado, poderia levar uma ideia de palidez de depressão, de tristeza, mas além do tom de azul não ser muito forte, ser um tom mais delicado, também há um rosinha realçando a vivacidade dos semblantes deles; assim como as roupas com cores complementares e detalhes alegres também jogam astral lá para cima, e os cenários, também, nos quais estão inseridos jamais perdem ludicidade, por mais que reflitam aspectos do mundo real humano. E não só com os elfos… muito nos agrada o design das várias criaturas presentes aqui. Notamos um cuidado especial com cada uma para que as características, de suas respectivas espécies, reflitam alguma informação que ajude a contar a história, ou até a colaborar com piadinhas, também, como: a tendência do centauro ser destrambelhado em um mundo que não favorece a sua anatomia; como a gang de encrenqueiros ser formada por fadas que compensam o tamanho diminuto com muita marra; o dragão formado por destroços com um toque especial que nos fez rir alto; tem até uma personagem que não trás umas piada em si, mas sua característica serve como escada para que a piada de construa.

Publicidade:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *