Criaturas Aterrorizantes achados no Rio Amazonas (PARTE 1)

Publicidade:

A floresta amazônica é um imenso ecossistema, conhecido no mundo inteiro por ser o habitat tanto de criaturas majestosas, como a onça pintada e o mico-leão-dourado, como também de criaturas pra lá de estranhas. Sobretudo nas profundezas do rio Amazonas, o maior do mundo, está a principal concentração dessas criaturas esquisitas. Confira algumas das várias  criaturas aterrorizantes do Rio Amazonas que, certamente, farão você não querer ir dar um mergulho ali.

ENGUIAS ELÉTRICAS

Também conhecidas como “Poraquês”, as enguias elétricas podem crescer até 2 metros e meio e são capazes de produzir solavancos de eletricidade a partir de células especializadas chamadas eletrócitos. O choque pode chegar a 600 volts, cerca de cinco vezes a carga de uma tomada comum, o que é suficiente para derrubar um cavalo. Por incrível que pareça, o choque não é bastante para matar um ser humano adulto saudável, mas vários deles podem causar insuficiência cardíaca ou respiratória, sendo comum as pessoas ficarem atordoadas e se afogarem após um ataque dessas enguias.

SUCURI-VERDE, A ANACONDA BRASILEIRA

A maior cobra do mundo moderno está na Amazônia: a sucuri-verde, também conhecida como “Anaconda Brasileira”. Essas sucuris são muito mais pesadas do que qualquer píton, sendo que as fêmeas, geralmente maiores que os machos, podem atingir 250 quilos. Seu comprimento é de aproximadamente 9 metros e elas possuem cerca de 30 centímetros de diâmetro. A espécie sucuri-verde não é venenosa, mas seu poder reside em seus músculos: elas são capazes de envolver e sufocar suas presas, desde capivaras e veados indefesos, a até mesmo os jacarés e onças-pintadas. Esses animais preferem águas rasas e vivem em várias ramificações da Amazônia em busca de presas, não exclusivamente no próprio rio.

CANDIRU

O candiru, também chamado de peixe-vampiro, é uma criatura pequena, mas não menos assustadora: eles são conhecidos por serem “parasitas de água doce”. Atraídos pela urina, eles se alimentam do sangue de seu hospedeiro, sendo famosos por adentrarem na uretra ou na região anal daqueles que se aventuram em dar um mergulho em seu habitat. Existem casos de pessoas que precisaram ser socorridas às pressas para a remoção de um candiru no trato urinário. Eles podem causar hemorragias sérias e infecções, sem contar que muitas pessoas já se afogaram pela dor insuportável da entrada do peixe nesses orifícios, uma vez que possuem espinhos ao longo de sua anatomia.

Publicidade:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *