A Ilha das COBRAS, a ilha mais Perigosa do Mundo (PARTE 1)

Imagine que você está perdido no mar durante a noite, e sob a luz do luar encontra um pequeno pedaço de terra. Você decide atracar seu barco em uma ilha aparentemente deserta até o dia amanhecer. Caminha pela ilha e procura um lugar para dormir. Mas em poucos minutos, você é atacado. Enfraquecido, é difícil até de caminhar. Em pouco tempo, todos os seus órgãos começam a falhar. E você está morto. Conheça agora, nesse artigo, o que é conhecido como um dos lugares mais perigosos do planeta. E ele está localizado no Brasil.

A cerca de 35 quilômetros da costa de São Paulo, entre as cidades de Peruíbe e Itanhaém, existe uma ilha onde nenhum aventureiro jamais ousaria trilhar. Diz a lenda local que no século passado um pescador que se aproximou da ilha foi encontrado dias depois à deriva em seu barco, sem vida e em uma poça de sangue. A misteriosa ilha é conhecida como Ilha da Queimada Grande, e é de fato tão perigosa que o governo brasileiro tornou ilegal a visita de pessoas comuns. O perigo assustador da ilha vem na forma das jararacas-ilhoa, uma espécie de víbora e uma das serpentes mais perigosas do mundo. De acordo com estimativas, existem cerca de duas mil espécimes dessa serpente, e elas podem chegar a ter até 1 metro e meio de comprimento. Existem cerca de uma cobra a cada 300 metros. As jararacas-ilhoa são tão venenosas que um humano mordido por uma pode morrer devido à falência múltipla de órgãos dentro de uma hora se não administrado um antídoto rapidamente. O veneno da serpente, estudado pelo Instituto Butantan, mas pouco fabricado devido a dificuldade de acesso, é até 5 vezes mais potente que o da jararaca comum, e é ainda mais letal em aves do que em mamíferos.

CONTINUA NO PRÓXIMO ARTIGO…

Publicidade:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *